Para você que esta pensando e planejando em comprar um imóvel, seja ele um apartamento, uma casa no perímetro urbano da cidade, ou até mesmo uma área rural para se dedicar a agricultura e pecuária, nós iremos lhe apresentar neste post algumas opções de linhas de crédito disponíveis para o financiamento de imóveis.

Mas antes de falar sobre as opções, você sabe o que é e como funciona o financiamento?

CONHEÇA AS PRINCIPAIS LINHAS DE CRÉDITO PARA FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS

Então, quando falamos em financiamento imobiliário, estamos falando de uma compra à vista realizada com o dinheiro de terceiros. Isso porque essa operação é realizada através do banco. Ou seja: você usa o dinheiro emprestado pelo banco para pagar o vendedor do imóvel e retorna esse dinheiro à instituição financeira por meio de parcelas quitadas a longo prazo.


É importante lembrar que, ao fazer um financiamento, você já passa a ser dono daquele imóvel. A única restrição imposta, até a quitação completa da dívida, é a negociação da residência com terceiros! 

Hoje, a Caixa Econômica é a maior instituição concedente de financiamento imobiliário. Parte dessa popularidade se dá à possibilidade que a pessoa tem de parcelar o crédito emprestado em até 420 meses, ou seja, 35 anos. Outro grande benefício do banco (apesar de não uma exclusividade dele) é suas linhas de crédito serem baseada nos recursos do FGTS.

Vamos então falar sobre as linhas de crédito disponíveis para fazer o financiamento de um imóvel:

Conheça as principais Linhas de Crédito para financiamento de imóveis

Carta de Crédito – FGTS

A Carta de Crédito FGTS permite a compra de imóveis usados com valores de até R$ 215.000,00, com ou sem a utilização do FGTS. No entanto, para optar por esse financiamento imobiliário, é necessário que se tenha renda de até R$ 7.000,00.

Como usar o FGTS para comprar um imóvel?

O FGTS pode ser utilizado para compra, amortização ou abatimento do saldo devedor. Caso necessário, ele também pode ser resgatado em seu valor total ou parcial.

Para sacá-lo, o trabalhador precisará totalizar no mínimo três anos de trabalho registrados na carteira de trabalho (CLT), a contar da data de sua contratação como empregado. Existem, no entanto, algumas restrições para o uso do FGTS para o financiamento imobiliário: 

  • O solicitante não pode estar com outro financiamento em aberto; 
  • O solicitante não pode ser proprietário de um imóvel residencial no município, nem em sua região limítrofe (em um raio de aproximadamente 100km), onde pretende comprar uma nova residência. 
  • O solicitante deve, necessariamente, trabalhar ou morar no município em que fica o imóvel que pretende comprar, ou no município limítrofe.

Pró-Cotista

A linha de financiamento Pró-Cotista, possibilita que trabalhadores ainda que não atuantes na CLT contratem o financiamento com taxas bastante atrativas para a compra de imóveis novos ou usados, entre R$216 a 950 mil em Minas Gerais. A única restrição é de que a pessoa possua até 10% do valor de avaliação do imóvel de interesse aplicado no fundo. 

A má notícia é que o programa nem sempre tem recursos, sendo bastante comum nos depararmos com notícias de sua suspensão temporária.

SBPE 

O SBPE pode ser ofertado por empresas públicas ou privadas e permite o financiamento imobiliário em duas modalidades: o pré-fixado (onde esse financiamento cobre em até 70% o valor do imóvel) e o pós-fixado (onde esse percentual sobe para 90%). 

Essa modalidade possui taxas tão atrativas quanto a Pró-Cotista, além de possibilitar o financiamento de imóveis que tenham o valor entre R$216 a 950 mil reais. Tudo isso faz com que o SBPE seja considerado como uma das principais bases de financiamentos imobiliários brasileiros. O SFH e o SFI, inclusive, utilizam seus recursos em suas linhas de crédito próprias. 

Minha Casa Minha Vida

O Programa Minha Casa, Minha Vida subsidia e/ou facilita a aquisição de casa ou apartamento próprio para famílias com renda até R$ 6500,00. Dentro desta condição, há quatro modalidades que atendem a alguns públicos específicos. A Faixa 1, que atende a famílias que possuam uma renda mensal bruta até R$ 1,8 mil, a Faixa 1,5, que diferente da anterior, a renda mensal máxima aceita é de R$ 2,6 mil, a Faixa 2, voltada para famílias que arrecadem até R$ 4 mil reais de renda, e a Faixa 3, para aqueles que acumulam uma renda bruta mensal de até R$ 9 mil reais.

Os recursos necessários para manter o funcionamento do MCMV vêm do orçamento do Ministério das Cidades, que é repassado diretamente para a Caixa Econômica Federal. As vezes acontece desses recursos serem bloqueados, como ocorreu na metade de 2020, portanto é preciso estar sempre atento nas atualizações do programa.

SFI

A linha SFI, ao contrário das demais, é direcionada para quem pretende adquirir imóveis acima de R$ 950.000,00 e, neste caso, não permite a utilização do FGTS.

Essas são as algumas possibilidades de financiamento de imóveis, para a realização da casa própria. Mas claro, cabe a você ver qual a melhora maneira e como isso cabe no seu bolso, mas se ainda tiver dúvidas, entre em contato com nossos corretores que estamos a disposição para lhe ajudar a encontrar a melhora maneira.